Wednesday, November 4, 2009

Milão

É uma cidade bem linda, com pessoas interessantes e elegantérrimas. Mas sinceramente, não é meu lugar favorito e nem é tudo o que eu imaginava. Praticamente a cidade se resume a dois pontos turísticos que são maravilhosos e badalados, mas não passa muito disso.

Nunca vi pessoas tão sem educação na vida. Seja em restaurantes, bancas de jornal, barraquinhas de muambas, lojas finas ou estação de metrô. Quer um bom motivo para brigar com alguém? Peça uma informação em qualquer um desses lugares e prepare-se para uma bela má resposta. Aliás, antes disso prepare-se para receber olhadas de cima a baixo (para ver se seu visual está de acordo com o padrão da cidade), ser ligeiramente ignorado e então receber o tradicional e deselegante atendimento. Se você for muito educado ou falar baixo as pessoas desdenham facilmente, então descobrimos que o ideal sempre é retribuir o "amistoso" tratamento. Juro que não estou brincando e que assim a coisa até dá certo.

Saímos da Suíça, numa viagem de trem imperdível (e inesperada porque parte do trecho planejado infelizmente furou) pelos Alpes e nos surpreendemos com uma Itália com toques de vandalismo (muitas pixações) e indivíduos não tão agradáveis. Sem falar da sujeira extrema em alguns pontos. Uma pena, já que certamente é um país lindo, com uma história cultural enorme, riqueza artística peculiar, arquitetura belíssima, sem falar da culinária espetacular (e como eu amo os queijos e pães daqui...)!

Porém, não quero desanimar ninguém a vir passear pelas bandas de cá. Garanto que é uma cidade bem legal e que em dois dias você dá conta do recado direitinho (pelo menos é a minha opinião).

Sim, valeu muito a pena, principalmente pelas pessoas incríveis que nos hospedaram (brasileiros, é claro) e pela companhia super bacana do Thiago (fala, Milanês!) na tarde de hoje. Mas não podia deixar de ressaltar os lados não tão belos da bela Itália.

De certa forma é reconfortante encontrar lugares que não são tão perfeitos assim.

Amanhã vamos para a Letônia. Só Deus sabe o que nos espera lá.

Ps: As fotos virão depois. :)

11 comments:

Aline Adães said...

São essas coisas que me fazem acreditar cada vez mais que o Brasil não é um país tão ruim assim!

Tatiana said...

Que chato né, Iana?

Nós, brasileiros, podemos ter muitos defeitos, mas com certeza gentileza, solidariedade (até na hora de dar uma informação)altruismo, hospitalidade e muita alegria, nós temos sim. Isso não nego!
Mas como tudo tem seu lado ruim, dá pra tolerar. Espero que vc tenha ótimos resultados nesse sentido na Letônia.
Não esqueça das fotos. rs.

Beijos procê mineira!

Tati

Fabíola Paiva said...

amigaaas!
estou acompanhado o blog!
quero ver todas as fotos e tô torcendo para que a viagem seja mesmo inesquecível! incrível!
Deus abençoe vocês!
beijoca

ps: escrevi no plural pq o recado tb é pra flavinha ;)

Leticia Fachin said...

Parabens Iana, muito legal esse trabalho que você esta fazendo, faz nos enchergar os paises mesmo não os conhecendo, estamos temporariamente na Suécia, não sei se ela esta na sua lista mas qualquer coisa peço deixar um recadinho para mim, sempre estamos a disposição de brasileiros que estão na europa, leticiaealan@hotmail.com, somos missionarios aqui e a cidade de Malmo onde estamos é espetacular cheia de peculiaridades tambem.. Deus te abençoe muito e continue te enchendo dessa sabedoria encrivel...

Ladis said...

Ah que legal ler suas histórias :) da europa eu fui para espanha e ameii! italia nao conheço .. mas um dia irei.

beijos e aproveite!

Ricardo Moraleida said...

Eu acho essa sua sensação muito familiar.

Quando estive na Europa, cada lugar me chamava a atenção por um motivo diferente, claro. Mas sem sombra de dúvida, os lugares que mais me intrigaram, que mais me atraíram os que eu mais quero voltar foram os imperfeitos. A Alemanha, com o muro ainda pichado e palavrões nas paredes, com inscrições como "baut die mauer wieder - construa o muro de novo" em frente a um museu nos escombros do prédio de comando do III Reich chamado "topografia do terror". Juro que me senti "em casa" quando desci na estação de trem em Praga, suja, fedida, pichada em russo; ali eu tive orgulho da rodoviária de Belo Horizonte - mesma sensação na estação de Budapeste e no subúrbio de Zagreb.

Lugares imperfeitos tem "cheiro" de casa; de lugar onde moram seres humanos de verdade - não a família modelo que todo mundo quer que acreditemos que os europeus são; maldito complexo de cachorro esquecido na mudança.

Claro que isso não é desculpa pra grosserias, uma vez que educação e gentileza são qualidades humanas, não étnicas, religiosas ou urbanísticas. Infelizmente, em alguns lugares simplesmente não conseguimos nos encontrar com as pessoas que dariam vida à cidade em que vivem - aconteceu isso comigo em Buenos Aires, de onde tenho poucas boas lembranças, apesar de tudo.

Tive a mesma experiência que vc no supermercado na alemanha - tentar de todas as formas ser compreendido, rir, e enfrentar a cara feia do outro lado. Mas foi totalmente diferente quando cheguei em Bratislava e, na mesma situação, em uma banca de revistas, a moça que me vendeu os bilhetes de Tram ria tanto junto comigo que ficou marcada como um dos pontos altos da viagem.

Acho uma pena que o meu olhar destreinado daquela viagem não tenha captado esses momentos com a minha câmera, ou com mais atenção. Tenho centenas de fotos de monumentos e parques lindos de ver, mas a sensação de humanidade, tanto a boa como a ruim, ficou só na minha memória e em 3 ou 4 fotos... Melhor sorte pra vcs! :)

Sah♥ said...

é impressão ou voce está com "medo" de ir para Letônia!? Acho que eu iria gostar de um trabalho como este... se bem que no meu eu tbm tenho algumas oportunidades de viajar para lugares legais,, mas na maioria das vezes a unica que aproveita isso é minha chefe,,, (nada boba ela)

aproveite bastante!!! Deus abençõe vocês aí! e que muitas pessoas possam ter a oportunidade de conhecer Jesus através de vocês!

Cíntia Mara said...

Sou louca pra conhecer a Itália. Mas já tinha ouvido falar que em alguns lugares é assim mesmo.
Um dos meus pastores já foi missionário em Turim, diz ele que as pessoas simplesmente falam que não querem saber de nada daquilo e devolvem os folhetos de evangelismo. :(

Bjs

*Nán!nh@* said...

É tão bom ouvir uma opinião sincera! Geralmente, as pessoas engrendecem tanto outros países e arrasam com o Brasil... um dia quero conhecer a Europa de perto, mas não abro mão da minha nação. =D

Natália Caplan
Manaus - AM

Fabrícia Nunes said...

Estou amando as viagens.
bjs

Senhori Positoni said...

Ler um texto desses e imaginar que você marketing... mas o jornalismo é que está na veia... tsc tsc tsc