Sunday, November 15, 2009

Bélgica

Chegamos a uma conclusão: Bruxelas tem imigrantes, muitas pessoas, vento e chocolate. Pelo menos essa foi a nossa impressão em dois dias aqui. Não é nossa cidade preferida, e confesso que fico na dúvida se ganha ou perde para Milão... Dúvida cruel.


Em Bruxelas acho que não vimos nenhum belga, porque eles simplesmente foram expulsos da cidade de tanto imigrante. Sabe aquela história de que a Europa está se tornando um continente muçulmano? Digamos que aqui foi o lugar em que vimos bem isso. O que mais ouvimos foi o árabe, e inclusive tivemos uma experiência não tão boa no metrô. Um grupo de seis rapazes nos abordou de forma agressiva, apelativa e muito ofensiva falando esse idioma. Fomos envolvidas por um clima de medo e insegurança e fomos obrigadas a fugir correndo, literalmente, na primeira parada. Um dos rapazes até tentou nos seguir, mas foi empurrado pela Flavinha numa atitude corajosa. Nunca imaginei ter que lidar com isso na Bélgica, e confesso que desde então não entramos mais em vagões sozinhas e nem naqueles que têm grupinhos de homens. Fica aí a dica.


Essa situação péssima me fez pensar novamente sobre como você representa o seu grupo étnico e o seu país. Cada indivíduo carrega em si a identificação da sua origem e a forma como você se comporta reflete no jeito como os outros se relacionarão com você e seu universo. Aqui na Bélgica eu fiquei com medo dos grupinhos de homens árabes. Mesmo longe de qualquer preconceito, isso é algo que não posso negar. Não quer dizer que todos são assim, mas essa foi a forma como a minha experiência negativa me marcou. Sei que essa é uma longa discussão, mas eu consegui entender a visão do cidadão que se vê invadido por uma cultura que não é sua. E isso foi algo que me fez pensar.


Enfim, mas a nossa estada aqui foi excelente, principalmente pela companhia da Suênia e família, que nos fizeram nos sentir tão bem. Sem falar do nosso ótimo dia em Brugges. Um lugar lindo, com pontos maravilhosos e um chocolate quente sensacional. E nem a chuva torrencial atrapalhou o nosso passeio. Inclusive porque nunca tinha andado de charrete com um dilúvio!


Amanhã saímos daqui para Barcelona e com a bagagem cada vez maior. Não, os 15 quilos permanecem, mas a nossa bagagem cultural não para de crescer.


Ps: A conexão filada do vizinho belga (ou seria imigrante?) não tá ajudando a postar fotos. Tomara que dê certo na Espanha!

12 comments:

Paulo Victor said...

Sempre me disseram que em Bruxelas não havia nada além daquela praça com o átomo. Por isso falei pra Flavinha que não valia a pena, e por isso já passei um dia todo no aeroporto de lá, sem nem me animar a sair.

Mas Brugge é linda. Pra mim, mais bonita que Veneza. Pena que pegaram chuva. É uma delícia a sensação medieval de caminhar por todas aquelas ruas do século XII e ser transportado para a época. O passeio de barco pelos canais também é imperdível.

Brugge é uma cidade para se passar apenas 1 ou 2 dias. Mas também pra se voltar algumas vezes. Estive lá por duas, e acho que ainda volto.

Vamos esperar boas supresas de barcelona. :)

Alessandra said...

Ual! Que medo!
Boa viagem e ...aguardarei as fotos!

Bjocas,
Ale

Patricia said...

Ianaaa!

Só por curiosidade e se não quiser responder tudo bem, mas é que não acreditei no que vi ontem.
Ontem assistindo uma reportagem na televisão que mostrava as coisas mais interessantes e deliciosas de outros países, mostrou esse tal de "macarons" que você citou no post falando o que vcs tinham feito na Europa. Em um ponto da reportagem após mostrar toda a história do surgimento dessa delicia, eles falaram o valor, quase caí pra trás, ele falaram que custaria aqui na nossa moeda, R$ 15.000,00 a unidadeeeee! isso é verdade???? Fiquei abismada com o valor e muito curiosa pra saber se é verdade ou invenção rs!

bjs! e continue aproveitando sua viagem, estou amando seus posts!

Patricia ;)

Lê said...

Nossa menina!!!
Que passeio bacana!
Legal poder conhecer tantos países.
Bjs!

stefany said...

oi iana estou amando ler os relatos dessa suas aventuras!
e a cada post dá mais vontade de viajar, pena que nao tenho nenhum conhecido nos estrangeiros rs

fik com Deus e otimas viajens!

Fabíola Paiva said...

gentee... essa viagem dá um livro!
tô amando os posts =)

fala pra flavinha lembrar do meu KIT KAT, tá? rs.

beijoca

*Nán!nh@* said...

Olha, sou muito medrosa. Então, posso dizer que grupinho de homem sempre me dá medo. Não importa etnia, país ou religião. Se os integrantes dele me encaram, já fico inquieta... huahua!

Mas deve ter sido uma situação complicada. Não sei o que eu faria, aliás, provavelmente entraria em choque e nem conseguiria correr. Ainda bem que vocês são o contrário de mim... rs!

Natália Caplan
Manaus - AM

PS: Internet de vizinho é terrível... por isso costumo comentar do pc do trabalho.

Aline Adães said...

Poxa...

Quão chato deve ser sair para passear e ser tratado dessa forma. Se bem que alguns turistas devem pensar da mesma forma que você Iana, quando vêm para o Brasil e são abordados de forma agressiva e ofensiva.
Mas fazer o que né? Cada país tem suas mazelas mais peculiares.
O importante é seguir a dica dos mais experientes e aproveitar!
(Pode deixar que essa sua dica tá guardada para quando eu for visitar a Bélgica).

Thaty nogueira said...

LOKAAAAAAAAAAAAAAAAA...
PRA VER AS FOTOS!
PS: QUE BOM QUE VCS SE LIVRARAM DO GRUPINHO ÁRABE!
BJOS MANA LINDA!

Flora said...

Hey Iana! Flora aqui!
Nossa que chato que isso tenha acontecido com vcs! Na verdade nunca passei por isso aqui.

Mas acho que os belgas estão todos aqui em Antwerpen!!! hehe

Uma pena que não deu para vocês virem aqui na cidade dos diamantes... Da próxima vez é um 'must'!

=)

Grande beijo,
Flora

Eloise said...

Que fofa é você! Prazer em conhecê-la.
Estava navegando por vídeos e blogs do mudança e cheguei ao seu. Que bênção!

Que você tenha experiências maravilhosas nos pedacinhos de mundo distantes do nosso (terrinha amada Brasil)!

Grande abraço!

Cíntia Mara said...

Nossa... e nós aqui no Brasil pensando que a Europa é super segura, que não precisa se preocupar com nada!

É esse tipo de gente que faz os árabes serem taxados com todos aqueles adjetivos nada agradáveis... E não só eles, mas, como você falou, a forma como representamos o nosso povo conta muito pra quem não conhece.

Bjos