Monday, September 24, 2007

Agora sou doadora de medula óssea!


Na sexta passada gravei uma matéria sobre os processos para a doação e aproveitei para me cadastrar. Quem me conhece sabe que tenho pânico de agulha, mas foi muito tranquilo. Primeiro é só tirar 10ml de sangue (eu estava realmente com medo), que não dói nada. Aí o Hemominas fará o teste de compatibilidade com o pessoal que está aguardando na fila. Se alguém for geneticamente compatível comigo, farei a doação. Caso contrário, até eu completar 55 anos (o que vai demorar muuuuito), permanecerei no banco de dados.

Quero muito que dê certo. Ter a chance prática de salvar a vida de alguém é um privilégio que quero ter. E de pensar que isso não é algo que me prejudicará em nada. Por exemplo, a maioria das doações (fora de sangue), só acontece em caso de morte. A medula não! Você doa em vida.

Comprei a causa e quero de verdade encorajar outras pessoas. É só procurar um hemocentro na sua cidade. É rápido e faz toda a diferença, para você e para outra pessoa que você nem imagina!

É isso!

7 comments:

Marcelão da Cris said...

Legal, Parker! Quantas vezes vc pode doar? Uma vez só ou é igual sangue?

Iana Coimbra said...

Vc doa o sangue só uma vez, mas a medula pode ser doada várias vezes. Só é preciso achar um receptor compatível geneticamente. Aí, eles entram em contato com vc e é feita a doação.

Legal, né. Doa também!

Brunna said...

Poxa, muito 10.
E as exigências são como as de doações de sangue?

Iana Coimbra said...

Ei Brunna,

Não são. Eu tinha até ficado preocupada porque não tenho os 50kg necessários para doar sangue. Mas como o sangue é só um meio de analisar a compatibilidade, não tem problema. As exigências são ter entre 18 e 55 anos, ser saudável, não ter HIV ou Hepatite.

Legal, né.

nanacerqueira said...

Que massa Iana...nunca pensei que fosse tão simples assim, com tantos meios de comunicação que temos, não se sabe informações sobre um assunto tão sério,eu sempre quis doar sangue, mesmo não gostando nada de agulhas, mas nunca tive os 50kls...me sentia até mal por isso, mas que benção saber disso...Deus abençõe..

Urânia Cerqueira...

Ester Tambasco said...

Oieee! Há pouco tempo eu consegui doar sangue pela primeira vez! Eu já tinha tentado mas o pessoal me mandou engordar...
Mas dessa vez eu consegui, fui com minhas irmãs e alguns amigos delas, foi muito legal, me senti muito bem podendo doar. O único inconveniente é que no final eu desmaiei, disseram que eu não tinha me alimentado o suficiente antes. Mas me recuperei e pretendo assim que vencer o prazo de espera ir doar de novo. A minha irmã mais nova também é doadora de medula óssea, ela também disse para eu doar, mas não sei porque eu fiquei um pouco com o pé atrás, acho que não entendi muito bem o que ela explicou. Agora o seu exemplo é um incentivo a mais.
Esses dias mesmo eu tava pensando em escrever algo sobre doação de sangue, quando estiver disposta de novo eu escrevo!
Beijo doadora!!!

Iana Coimbra said...

Ei Teca! Ei Urânia!

É engraçado como a doação de medula é ainda desconhecida, né. Mas a Rede Super está fazendo uma campanha bem bacana aqui em BH incentivando todo mundo e desmistificando o assunto (inclusive para mim). A chance de encontrar alguém compatível com vc é de 1 em 100.000. Em alguns casos chega a ser de 1 em 1.000.000! E hoje no Brasil existem só 400.000 doadores. Na matéria que eu gravei mostramos uma menina de 9 anos que mesmo com o transplante tem só 30% de chance de sobreviver... Dureza, né. Que os nossos exemplos encoragem outras pessoas!

Beijão!!!!